Existem estratégias simples para aproveitar o dia da melhor maneira, mesmo quando trabalha a partir de casa.
A

s pessoas produtivas sabem traçar fronteiras entre o trabalho e a vida pessoal. São especialmente disciplinadas para fixarem a mente no trabalho, planeando com antecedência as tarefas do dia ou da semana. O termo académico comumente usado é “reconexão laboral”. As pessoas costumam reconectar-se ao trabalho (pelo menos faziam-no antes da pandemia provocada pela COVID) no caminho para o escritório, enquanto tomavam o café na esquina, ou mesmo antes de abrir o computador e ler os e-mails. Hoje em dia, quando as barreiras entre a vida laboral e pessoal estão cada vez mais confusas, a reconexão com o trabalho torna-se ainda mais crítica. Os gestores também podem ajudar de múltiplas formas. O que sabemos sobre este campo e que recomendações podem ser essenciais?

 

A investigação científica

Estudos mostram que o tom com que as pessoas começam a manhã pode impactar significativamente a produtividade e motivação durante o dia de trabalho. Uma das investigadoras que sobressai nesta área é Sabine Sonnentag, da Universidade de Manheim, que publicou recentemente um artigo com outros estudiosos para tentar perceber como a reconexão afeta o empenho no trabalho durante o dia. O engagement é uma medida que indica o quão enérgicas, dedicadas e absorvidas as pessoas se sentem no seu trabalho.

O estudo envolveu a compilação de dados, recolhidos de manhã e à tarde, para avaliar a reconexão laboral, o nível de engagement e vários indicadores que possam explicar como estão relacionados os dois fatores (na pesquisa académica, os investigadores chamam a este processo modelo de mediação). A amostra incluiu 151 pessoas da mesma organização, avaliadas durante 620 dias. Através da análise estratégica a múltiplos níveis com modelagem de equações estruturais, a investigação conduziu a conclusões reveladoras.

 

Como pode a reconexão laboral durante a manhã contribuir para o engagement durante o dia?

Em primeiro lugar, a reconexão laboral contribui para o empenho porque ativa objetivos antes do trabalho começar. Por outras palavras, ao criar objetivos laborais salientes e top of mind, as pessoas focam a sua energia no dia de trabalho. Em segundo lugar, quando os objetivos são ativados, torna-se mais fácil:

  1. Planear o dia e priorizar com maior eficiência (antecipando o foco em cada tarefa)
  2. Sentir maior confiança nas suas capacidades e ter um dia mais produtivo (afetação positiva)
  3. Mapear as pessoas necessárias para ajudar numa determinada tarefa (apoio social)
  4. Assegurar a autonomia e as ferramentas necessárias para o dia (controlo do trabalho)

Os autores controlaram ainda o impacto da negatividade e positividade nas suas relações. Por outras palavras, tentaram responder à questão: será que a reconexão laboral pode funcionar diferentemente em pessoas com atitudes raivosas ou medrosas face ao trabalho e em pessoas com disposições mais otimistas e construtivas? Afinal de contas, para uma pessoa mais cínica, pensar em trabalho pode ser potencialmente desmotivador. A resposta é: a reconexão laboral contribuiu positivamente para o empenho em ambos os casos, apesar de o impacto ser mais leve em pessoas mais negativas. Em conclusão, a reconexão laboral matinal resulta.

 

Recomendações para dias de trabalho mais produtivos e gestão prática

A primeira recomendação, e mais óbvia, é a de criar rutinas simples para favorecer a reconexão laboral, antecipando o dia ou a semana de trabalho. Não tem de ser complicada. Tirar 10 minutos durante a manhã para recordar os seus objetivos e tarefas e para planear que pessoas e recursos são necessários pode contribuir imensamente para a motivação e produtividade. Da minha experiência, enquanto planeia o dia ou semana de trabalho, provavelmente quer criar algo com estrutura suficiente para canalizar a sua energia, mas não tão estruturada que lhe limite a agilidade. Um plano demasiado rígido pode até criar ansiedade face à inevitável volatilidade do dia.

Se estiver a trabalhar de casa, criar um espaço de trabalho separado e vestir-se como se fosse para o escritório (mesmo que seja de uma forma mais casual) pode ajudar, adicionando uma fronteira entre o trabalho e a vida pessoal de uma forma mais consciente. Quando a barreira entre estes dois mundos se torna menos evidente, é preciso defini-la através de rituais e compartimentação disciplinada do tempo. Neste sentido, ter compromissos precisos sobre tarefas pessoais e familiares com o seu parceiro é crítico.

Gestores de linha e equipas têm também um papel essencial. Por exemplo, para contribuir para a reconexão laboral, podem:

  1. Criar e respeitar espaços para reflexão pessoal assim que os trabalhadores chegam ao trabalho.
  2. Organizar pequenas reuniões de equipa para planear o dia.
  3. Ajudar os funcionários a priorizar objetivos e tarefas (e conectá-las com os objetivos da organização).
  4. Evidenciar a interdependência entre objetivos e tarefas
  5. Facilitar o apoio mútuo ao conectar pessoas em diferentes setores da organização.
  6. Apoiar a autonomia dos trabalhadores para a condução de trabalho concentrado.
  7. Assegurar que as ferramentas e a informação de que as pessoas necessitam para completar as tarefas estão disponíveis.

Estas práticas simples (e, ainda assim, muitas vezes negligenciadas) são provavelmente mais relevantes no contexto de trabalho remoto. Num ambiente remoto, as investigações indicam que as pessoas confiam mais nos seus líderes quando a comunicação é proativa, frequente e previsível. Simular uma rotina matinal (online) para preparar o trabalho, tanto ao nível pessoal como de equipas, pode ser muito eficaz.

Gary Yukl definiu a liderança como um processo para influenciar outros e facilitar os esforços em direção a objetivos partilhados. A reconexão laboral é provavelmente uma das tarefas mais esquecidas, na qual os líderes, com um pequeno esforço relativo, podem abraçar o seu papel de facilitador, com um impacto significativo no empenho e na produtividade.

Referências

Sonnentag, S., Eck, K., Fritz, C., & Kühnel, J. (2020). Morning reattachment to work and work engagement during the day: A look at day-level mediators. Journal of Management, 46(8), 1408-1435.

Publicado em 
11/5/2021
 na área de 
Liderança & Pessoas

Mais artigos de

Liderança & Pessoas

VER TODOS

Join Our Newsletter and Get the Latest
Posts to Your Inbox

No spam ever. Read our Privacy Policy
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.