Nova SBE

O poder do Networking: 5 lições que nunca deve esquecer

15 de Junho de 2021 por Terry Hamill

O networking tem má reputação no mercado, porque as pessoas associam o termo, automaticamente, a vendas. Na realidade, é o oposto. Trata-se de criar relações. Contudo, as pessoas muitas vezes cometem erros, porque não percebem que existe bom e mau networking e que há uma fórmula para construir ligações. Primeiramente, deve perguntar-se: como posso criar uma ligação com alguém, com profundidade, sem que seja demasiado pessoal, mantendo o profissionalismo, para que nos consigamos conectar mais depressa?

Artigo de Terry Hamill| Leitura de 5 minutos

the-power-of-networkingSusan Q Yin @syinq

Grande parte de nós fazemos networking com as pessoas erradas, nos sítios errados, dizemos coisas erradas, e acabamos por perder tempo. Tenha em atenção estes cinco princípios, para que possa construir ligações e fortalecer relações laborais duradoras:

  1. Toda a gente gosta de ser ajudada, mas ninguém gosta de ser alvo de vendas

O primeiro erro no mundo do networking é o oversell. Eu não entrego cartões de visita, porque o gesto se trata de uma transação. Antes de tudo, é preciso conhecer a outra pessoa. Desta forma, é necessário ouvir. Tem dois ouvidos e uma boca – use-os proporcionalmente. Um bom networker é alguém que ouve, compreende e depois tenta estabelecer uma ligação que ajude a outra pessoa. Se ajudar alguém, esse gesto tem retorno.

  1. As pessoas procuram mais autenticidade e vulnerabilidade

Nos tempos que correm, em que cada vez mais pessoas estão a perder ligações, torna-se extremamente importante procurar formas diferentes de conectar e comunicar. As pessoas procuram líderes que consigam estabelecer ligações mais profundas com as suas audiências. Portanto, se está a fazer vendas, a tentar recrutar equipas, ou à procura de novos investidores, o poder de contar uma história e ligar essa narrativa às necessidades da pessoa com quem estamos a falar é mais crucial do que nunca. Não tenha medo de contar a sua história. Mas, sempre, com um propósito.

  1. Crie contactos com um propósito

O networking trata-se de ligar pessoas na posição certa, com o mindset adequado, para criar algo melhor para o mundo. Deve prestar atenção quando está a desenvolver a sua rede de contactos, porque é ao conhecer pessoas com as mesmas paixões, alinhando as diferentes perspetivas, que é possível criar algo com um propósito. Muitas vezes conhecem-se pessoas por acidente, mas é muito importante fazer o trabalho de casa: olhe para o LinkedIn, veja quem é positivo, fala bem, diz as coisas certas e que se liguem com a sua história. Não é difícil encontrar pessoas que se alinhem com a sua visão. As redes sociais são a maior base de contactos do mundo! Lembre-se: as relações são primeiramente baseadas no social, só depois, talvez, em negócios.

  1. Crie uma relação win-win

Uma coisa a ter sempre em mente: nunca se vende à rede de contactos. Se tentar vender algo, a relação quebra-se. Deve ter uma relação colaborativa, baseada em ajuda mútua nos respetivos negócios. Uma relação de network tem de ser uma situação de mútuas vantagens. Não existe apenas um lado. Ser honesto e direto é muito mais eficaz. É preferível dizer: “a partir de agora, não vou tentar vender nada, nem vale a pena tentar vender-me nada. No entanto, estou confortável em abrir a minha rede de contactos, se estiver disposto a fazer o mesmo. Vamos trabalhar colaborativamente, em vez de competitivamente”. Sublinho: não se trata de uma relação a curto-prazo, mas de um crescimento mútuo a longo-prazo.

  1. Não se esqueça da regra das 5 pessoas

Somos a média das cinco pessoas com quem nos associamos. Por isso, num contexto de networking, se é a pessoa mais inteligente numa sala, está na sala errada. Numa rede de contactos orientada para os resultados, não deve tentar estabelecer ligações com milhões de pessoas, porque não terá tempo para construir essas relações ou manter a comunicação. É por isto que a regra das cinco pessoas é tão útil: é melhor ter cinco pessoas a trabalharem juntas, regularmente, do que tentar gerir 30 ou 40. E se essas pessoas tiverem relações fortes com os seus cinco contactos, terá um impacto exponencial. Por esta razão, não se esqueça: invista em qualidade, não em quantidade.

CTA-do-blog-CCNP-PT

Tópicos: Artigos de Opinião, Liderança & Pessoas

Terry Hamill

Publicado por: Terry Hamill

SingularityU Portugal Faculty & Professor at Nova SBE. BNI Portugal National Director

Subscreva o nosso Blog

 

Nova SBE

Quer escrever
para o Blog?

Saber mais